Brasileiros inauguram módulo científico no interior da Antártida


Objetivo é coletar informações sobre impacto das mudanças climáticas. Conheça rotina dos pesquisadores que acampam na região.

Cientistas brasileiros inauguraram oficialmente nesta quinta-feira (12) o módulo Criosfera 1, instalado no interior da Antártida para monitoramento meteorológico e coleta de informações sobre o impacto da mudança climática no continente antártico.

Os equipamentos já operam desde a primeira semana de janeiro e transmitem remotamente dados sobre a velocidade do vento e umidade do ar a partir das coordenadas 84°S, 79°29’39″W, a 670 km do Polo Sul Geográfico e a 2.500 km de distância da Base Antártica Comandante Ferraz, mantida pela Marinha na costa da região.

Dez pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e das universidades Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) estão desde dezembro acampados no local e são responsáveis pela instalação de equipamentos e realização de medições.

O Globo Natureza conversou nesta sexta-feira (13), por telefone via satélite, com o glaciólogo Jefferson Simões, da UFRGS, um dos coordenadores da expedição ao Polo Sul. No momento da conversa, a temperatura no acampamento era – 17 ºC.

“Está um friozinho aqui”, brincou o pesquisador. Durante o verão no Hemisfério Sul o sol nunca se põe (fenômeno chamado de “Sol da meia-noite”) e a temperatura média é de – 20 ºC, com sensação térmica de – 41 ºC.

Simões disse que o equipamento funcionará de forma sustentável, com energia eólica (ventos) e painéis solares. “Mas os painéis ficarão desativados a partir de março, quando a região fica totalmente escurecida”.

Análise
De acordo com o pesquisador, o módulo, que também mede a quantidade de dióxido de carbono na região, verificou a concentração de 385 partículas por milhão (ppm) de CO2, quantidade que é 40% maior aos níveis pré-industriais.

“Nós também já constatamos a presença de carbono negro, presente na fuligem que é subproduto de queimadas e uso de combustível fóssil. Isto está chegando cada vez mais na Antártida e queremos investigar o fato”, explica Simões. Outra parte importante da pesquisa está ligada ao aquecimento da região periférica do continente.

“Sabemos que já ocorre o derretimento das geleiras e também a migração de animais. São sinais da mudança climática. Mas pesquisas apontam que o centro da Antártida está esfriando, enquanto as bordas estão esquentando. Isso pode ter influência do buraco na Camada de Ozônio. O Criosfera 1 vai contribuir com pesquisas internacionais sobre o tema e reforça a participação do Brasil no Tratado da Antártida, que decide o futuro de 10% de área do planeta Terra”, complementa.

Dificuldades
Os dez pesquisadores permanecem no interior da Antártida até o dia 20, retornando para Punta Arenas, no Chile, no dia 22 e, posteriormente, para o Brasil. Enquanto isso, enfrentam um cotidiano difícil.

“Aqui não tem como seguir um horário específico, já que estamos perto do Polo Sul e é dia o tempo todo. Por isso, definimos seguir o fuso do Chile (uma hora a menos que o horário de Brasília). Os dez (cientistas) ficam divididos em cinco barracas, a uma temperatura de – 7 ºC no interior delas. São ao menos dez horas de trabalho por dia”, comenta.

Segundo o professor Simões, roupas e óculos especiais protegem a equipe do frio e dos reflexos do sol na neve, que podem prejudicar a visão humana. “O mais difícil mesmo é sair do saco de dormir”, comenta.

Após o retorno do grupo, o módulo antártico vai enviar informações automáticas para o Inpe, em São José dos Campos (SP). No fim de 2012, uma nova expedição irá ao local para verificar os instrumentos e coletar dados que não foram transmitidos.


Os dez pesquisadores da UERJ, UFRGS e do Inpe que ficam até o dia 20 de janeiro no interior da Antártida para monitorar o módulo Criosfera 1. Na imagem, entre os cientistas está o glaciólogo Jefferson Simões (o primeiro com blusa preta, da direita para a esquerda). (Foto: Divulgação/Marcelo Arévalo).

Autor: Eduardo Carvalho
Fonte: Globo Natureza
Original: http://glo.bo/xqgsin


FOLLOW US / SIGA-NOS:
              

Leave a Reply / Deixe um comentário

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: