Nova Iorque adota regras para emissões de carbono limitando usinas a carvão



Administradores do estado de Nova Iorque adotaram na quinta-feira limites, mais rígidos dos que as propostas em nível federal, sobre as emissões de dióxido de carbono de usinas de energia novas e ampliações, tornando quase impossível a construção de novas unidades.

Não existem usinas a carvão sendo desenvolvidas em Nova Iorque, que atualmente abriga cerca de duas dúzias delas, algumas muito antigas, pequenas e raramente ativadas, capazes de gerar cerca de 2,8 mil megawatts (MW) de energia.

“Ao evitar novas fontes de energia intensas em carbono, este padrão de desempenho servirá para minimizar ainda mais a contribuição do setor de energia às mudanças climáticas, que impõe uma ameaça substancial à saúde pública e ao meio ambiente”, comentou Joseph Martens, comissário de Conservação Ambiental do Departamento de Estado de Nova Iorque.

A nova regra, que entra em vigor em 12 julho, estabelece um limite de CO2 de 925 lbs por MWh para grande parte das instalações novas e ampliadas de usinas movidas a combustíveis fósseis, e um teto de 1.450 lbs/MWh para turbinas a combustão de ciclo simples. Um megawatt pode fornecer energia para cerca de 1 mil residências.

Analistas do setor de energia disseram que as usinas a carvão produzem mais de 1000 lbs/MWh de CO2, portanto, as regras evitariam a construção de novas unidades a menos que elas tenham sistemas de captura e armazenamento de carbono instalados.

As usinas de base, que historicamente foram supridas por carvão e fontes nucleares, geralmente operam 24 horas por dia, sete dias por semana. As turbinas de ciclo simples a gás natural geralmente operam durante o verão e picos de inverno.

Mas com os preços do gás natural em baixa, muitas companhias optaram pelas unidades de ciclo combinado a gás para geração de energia ao invés do carvão.

Após a proposição da regulamentação em janeiro pelo estado de Nova Iorque, a Agência de Proteção Ambiental (EPA, em inglês) dos Estados Unidos também sugeriu o ‘padrão de desempenho para novas fontes de CO2’ em nível federal, submisso ao Clean Air Act. A iniciativa da EPA contem um padrão inicial de 1000 lbs/MWh para as emissões de CO2.

As maiores usinas a carvão de nova Iorque são de propriedade da NRG Energy Inc, que está buscando reenergizar suas unidades. As outras, da AES Corp e Dynegy Inc, estão envolvidas em processos de falência.

Traduzido por Fernanda B. Muller, Instituto CarbonoBrasil

Autor: Scott DiSavino
Fonte: Reuters
Original: http://goo.gl/WhfRd


FOLLOW US / SIGA-NOS:
              

Leave a Reply / Deixe um comentário

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: